sem titulo
Evento finalizado
21
sep 2017
21
oct 2017

Compártelo en redes

Cuándo: 21 sep de 2017 - 21 oct de 2017
Inauguración: 20 sep de 2017 / 19:00
Horario: Segunda a sexta-feira, das 10 às 19h / Sábado, das 12 às 16h
Precio: Entrada gratuita
Dónde: Lombardi Galeria / Rua Joaquim Antunes 187 / São Paulo, Sao Paulo, Brasil
Comisariada por: Diógenes Moura
Organizada por: Lombardi Galería
Artistas participantes: Fabiano Al Makul
Correo electrónico: contato@balady.com.br
Etiquetas:
Publicada el 13 sep de 2017      Vista 39 veces

Descripción de la Exposición

A Lombardi Galeria, de Álvaro Lombardi, inaugura sua sede com a mostra "A Minha Poesia Covarde", do fotógrafo paulistano Fabiano Al Makul, sob curadoria de Diógenes Moura. Composta por 30 imagens que exploram o fascínio do artista por cenas simples e espontâneas, encontradas ao acaso, a exposição é um aprofundamento na produção recente do artista, que chama atenção pelo olhar detalhista em busca de elementos como sombra e luz, conectando as cenas através da composição de polípticos pautados pela cor. Após processo de aglutinar para selecionar, artista e curador optaram por criação de dípticos e/ou trípticos não apenas influenciados por sua gama cromática, mas um amalgama de conceitos e lembranças também baseados na cor. Sem definição conceitual prévia dos temas a serem registrados, Fabiano Al Makul segue a paixão que apreende o olhar quando se depara com o momento. Seus registros se apresentam como músicas visuais. A história por traz da imagem registrada, real ou imaginária, compõe a obra final. "Uma fotografia será sempre um retrato e um retrato será sempre um veredito”, declara o curador. Seus personagens são todos e nenhum. Na atual seleção, o humano aparece apenas em poucos registros, mas apenas como composição. Elementos ordinários do cotidiano, a pintura desgastada no asfalto, detalhes da arquitetura, destaques da natureza, a cadeira vazia. Temas banais elevados a categoria de obras de arte com a sofisticação do olhar no momento preciso da fotografia. “É irritantemente belo. Esse drama, em poética, é o esplendoroso”, diz o artista. As imagens de Fabiano Al Makul contêm as referências das cidades por onde vagou, com câmera na mão, vítima do encontro ao acaso. Como um segredo, cada uma delas rompe a covardia de um verso. Nas palavras do curador: “Nesse limite, não há saída: ou tudo, ou nada". “'A Minha Poesia Covarde' não é apenas um verso. Fabiano Al Makul não é apenas um fotógrafo. É transeunte. Ou 'enxerga' a cidade e sobrevive ou a 'vê' e desaparece. Eis a decisão final. Trata-se de um jogo no singular, um retrato, um livro aberto que página por página poderá mudar a cada instante”, define Diógenes Moura.

Actualizado

el 22 sep de 2017 por Balady Comunicação

Contactar

¿Quieres contactar con el gestor de la ficha?

Descubre más obras en ARTEINFORMADO

Espacio Adquirid..., 2016
Gustavo Blanco-Uribe
Compártelo en redes

¡En promoción!

05 dic de 2017 - 15 abr de 2018

El arte y el espacio

Museo Guggenheim Bilbao / Bilbao, Vizcaya, España

ArtCity

Descárgate ArtCity, la app que te dice que exposiciones tienes cerca.

Más información

¡Suscríbase y reciba regularmente nuestro Boletín de Noticias del Mercado del Arte!

Suscribirme
volver arriba