Cathrine Crawfurd, Trouble in paradise 140x175 — Cortesía del Centro Cultural Correios RJ
21
ene 2021
21
mar 2021

Compártelo

Cuándo: 21 ene de 2021 - 21 mar de 2021
Inauguración: 21 ene de 2021 / 18:00
Horario: De martes a sábado de 12 a 19 h.
Precio: Entrada gratuita
Dónde: Centro Cultural Correios - Rio de Janeiro / Rua Visconde de Itaboraí, 20 - Centro / Rio de Janeiro, Brasil
Comisariada por: Susi Sielski Cantarino
Organizada por: Centro Cultural Correios
Artistas participantes: Cathrine Crawfurd
Etiquetas:
Publicada el 20 ene de 2021      Vista 22 veces

Descripción de la Exposición

Norueguesa radicada no Rio, Cathrine Crawfurd inaugura individual com quase 90 trabalhos, entre telas e fotos, no Centro Cultural Correios RJ. CATARSIS, exposição da artista norueguesa Cathrine Crawfurd, inaugura no dia 21 de janeiro, no Centro Cultural Correios RJ, onde ocupa duas salas no 2º andar, sob curadoria de Susi Sielski Cantarino. Compondo a primeira sala, 27 pinturas abstratas de grandes formatos (175 x 140cm), alguns dípticos, usando a técnica de acrílica sobre tela, a maioria concebida durante a pandemia. Já na segunda sala estão expostas fotografias, 15 medindo 105 x 80cm, e outras 46, menores, 35 x 20cm. “A prática de transformar um trauma ou uma situação difícil em algo belo, que dê esperança e alívio é algo bastante recorrente em meus trabalhos”, afirma a artista, Cathrine Crawfurd. “Durante o infeliz desafio que enfrentamos este ano, essas habilidades vieram à tona como uma grande necessidade. A solidão e o isolamento não eram mais uma escolha para criar, e sim uma obrigação”, completa. “Eu me apaixonei imediatamente pelo trabalho da Cathrine. É intuitivo, lírico e poético. Inspira paz. As obras possuem também uma força invisível, translúcida, que mediante diferentes tons de tintas diluídas, por vezes parecem nos conduzir para dentro de uma nuvem espessa, já noutras explodem magicamente, formando uma chuva de meteoros de cores complementares e análogas que conversam delicadamente entre si. Dá vontade de navegar e mergulhar no interior de cada pintura”, avalia Susi Cantarino. “Acabamos nos conhecendo através de uma amiga norueguesa em comum e tivemos uma afinidade incrível. Assim surgiu a amizade e o convite para a curadoria”. O processo de criação O processo de criação da artista é diretamente influenciado pela sua história de vida, já que morou em diversos países pelo mundo. Cidades, culturas desconhecidas e línguas incompreensíveis aguçam os sentidos, segundo Cathrine, em busca de impressões reconhecíveis. Cada lugar - com suas luzes distintas, sua própria paleta de cores, sua estrutura arquitetônica específica e um código de identidade particular - faz parte deste processo. Uma outra curiosidade sobre seu trabalho é o formato mais utilizado pela artista, que acompanha o da escala humana, com base na sua própria altura. Saiba mais sobre Cathrine Crawfurd Cathrine Crawfurd cursou a Escola de Arte em Oslo, Noruega, de 1989 a 1991, onde se formou. Depois disso, não parou mais, tendo concluído curso na Academia Nacional de Belas Artes, na Universidade de Bergen, também na Noruega, em 1997, além da Faculdade de Belas Artes, na Universidade de Barcelona, Espanha. Em 1996, participou de uma residência artística de três meses na Villa Moderne, em Paris. Entre as individuais já realizadas pelo mundo, estão: em 1998 e em 2000, na Galleri Elenor, Oslo (Noruega); em 2007, no Town Hall of Silly, Silly (Bélgica); em 2009, na Galerie Stephanie, Bruxelas (Bélgica), em 2013 no Open Studio, Paris (França), em 2014, na Her Majesty Queen Sonja´s Church and Cultural Center, Paris (França); em 2014, na La Galerie du Cercle Suédois, Paris (França); em 2015, na Galleri Perrongen, Valdres Fine Art Society, Valdres (Noruega), e no Brasil, em 2019, na Maquês 456, no Rio de Janeiro. Ao longo de sua carreira artística, também integrou diversas coletivas, como Bergen Fine Art Society, Bergen/Noruega (1998); Exposição Anual, condado de Østlandet (Østlandsutstillingen), Fredrikstad/Noruega (1999); Atelier Aberto, «OSLO OPEN», Oslo/Noruega (2002); Feira de Arte da Associação Norueguesa-Belga, Liège/Bélgica (2008); Exposição Anual, Prefeitura de Woluwe St.-Pierre, Bruxelas/ Bélgica (2008); Exposição Anual, Prefeitura de Woluwe St.-Pierre, Bruxelas/Bélgica (2009); Exposição Anual, Prefeitura de Woluwe St.-Pierre, Bruxelas/Bélgica (2010); Volume et valeur, projeto interdisciplinar com a pianista Natalia Strelchenko, Paris/França (2014); Exposição Anual, Studio W, Fornebu Art Center, Oslo/Noruega (2015 e 2016); JACARANDÁ+, Marquês 456, Rio de Janeiro/Brasil (2018). Em 1999, recebe bolsa de viagem para Havana/Cuba e em 2015, bolsa anual de trabalho, em Oslo/Noruega. Lecionou em várias escolas de arte e arquitetura, Oslo/Noruega, entre 1999 e 2006, bem como na Ėcole du Chant d’Oiseau, Bruxelas/Bélgica, de 2006 a 2010. Em 2013, leciona artes no Lycée International, Saint-Germain-en-Laye/França, em 2014, no Estabelece Atelier, Oslo/Noruega, e, em 2016, dá aulas de arte em Atelier na Bratislava/ Slovakia, e em Roma/Itália. Já em 2017, passando a residir no Rio de Janeiro, se estabelece em atelier com um grupo de artistas, na Marquês 456 e, posteriormente, na Casa Arlette.

Actualizado

el 20 ene de 2021
Compártelo

¡Suscríbase y reciba regularmente nuestro Boletín de Noticias del Mercado del Arte!

Suscribirme