Rigo 23 — Cortesía de la Galeria Quadrado Azul
03
oct 2020
27
feb 2021

Compártelo

Cuándo: 03 oct de 2020 - 27 feb de 2021
Inauguración: 03 oct de 2020
Precio: Entrada gratuita
Dónde: Galería Quadrado Azul - Oporto / Rua Miguel Bombarda, 578 / Oporto, Porto, Portugal
Organizada por: Galeria Quadrado Azul
Artistas participantes: Rigo 23
Enlaces oficiales Web 
Etiquetas:
Publicada el 23 sep de 2020      Vista 56 veces

Descripción de la Exposición

Na sua segunda exposição individual na Galeria Quadrado Azul, Rigo 23 apresenta um núcleo de obras realizadas no longínquo ano de 2017. As quatro obras foram apresentadas pela primeira vez no Weltkulturen Museum, em Frankfurt, e na Galeria Millennium, numa Lisboa então Capital Ibero-Americana da Cultura. Uma mostra a dois com Ayrson Heráclico (Brasil), a exposição em Frankfurt intitulava-se Entre Terra e Mar - Between Land and Sea - Transatlantic Art. Na baixa pombalina, intitulava-se Itacoatiara[1], e na Galeria Quadrado Azul, em 2020 - entre o Hospital Júlio de Matos e a Escola Padre António Vieira - apresenta o título de Globotomia. O trabalho de Rigo é um constante desafio à ideia da obra de arte como elemento impermeável ao contexto que a rodeia. A Arte como fenómeno separado, facilmente catalogado, colectado, avaliado, apresentado e preservado entre muros e páginas, não é a sua praia. Ao longo de mais de três décadas, a sua desalinhada produção artística raramente ocupa um mesmo território, reflexo de uma busca desordenada que tem como ponto de origem a vertigem do abismo. Natural da Ilha da Madeira, o artista passou a maior parte da sua vida no distópico e fascinante faroeste, em diálogo com a experiência indígena e negra. Nesta exposição, apresenta-nos trabalhos produzidos em estreita colaboração com comunidades e indivíduos de um faroeste menos viajado pela curiosidade europeia - o faroeste do hemisfério Sul, com o qual Portugal tanto tem que ver e a haver. A exposição inclui quatro obras: um video que documenta uma acção levada a cabo por membros de três aldeias Guaranis do sul do estado de São Paulo, no Brasil, na praia da Ilha do Cardoso, que hoje tem o nome de Itacuruça[2]; uma escultura em pedra, que junta pedra esculpida e pedra no seu estado natural, numa representação do território sagrado, dividido por uma fronteira; uma escultura-invólucro em cestaria, com tacoara, madeira e materiais encontrados nas praias da Ilha do Cardoso, a caminho de Itacuruça; um desenho-mapa com tinta da china e bordado, que traça o evoluir de um grito Guarani pelo território europeu, no ano de 2017. _______________ [1]Pedra Colorida em Guarani, designação primeira dada pelos Guarani ao marco de pedra pintada que uma expedição Portuguesa colocou em 1502 no seu território definindo um ponto na fronteira criada pelo Tratado de Tordesilhas, em 1494. [2] “Cruz de Pedra” em Guarani. Hoje nomeia a praia onde foi colocado o marco assinalando um ponto na fronteira criada pelo Tratado de Tordesilhas, em 1502.

Actualizado

el 11 ene de 2021

¡Suscríbase y reciba regularmente nuestro Boletín de Noticias del Mercado del Arte!

Suscribirme