Enseña tus OBRAS en ARTEINFORMADO. ¡Cada día, más personas las miran!
Daniel Seiffert — Cortesía de Encontros da Imagem
11
sep 2020
31
oct 2020

Compártelo

Cuándo: 11 sep de 2020 - 31 oct de 2020
Inauguración: 11 sep de 2020
Dónde: Casa da Antiga Câmara / Largo da Oliveira / Guimarães, Braga, Portugal
Organizada por: Casa da Antiga Câmara
Artistas participantes: Daniel Seiffert
Etiquetas:
Eventos relacionados: 30º Encontros da Imagem - Festival Internacional de Fotografia e Artes Visuais
Publicada el 11 sep de 2020      Vista 3 veces

Descripción de la Exposición

Entre abril e maio de 2018, passei um mês em Luanda. De acordo com diferentes estudos e estatísticas, a capital de Angola é conhecida como a cidade mais cara do mundo, pelo menos quanto ao custo de vida para estrangeiros, os chamados expatriados. Em contraste, fica o facto de que a grande maioria da população local ganha menos de um dólar por dia e precisa ganhar a vida. As razões disso são a enorme riqueza gerada pelo petróleo e diamantes do país. Infelizmente, os recursos, são mais maldição do que bênção para este imenso país do sul da África. Em 2002 iniciou-se uma sangrenta guerra civil, tendo começado pela independência do poder colonial português em 1974/75, e sendo um excelente exemplo das chamadas guerras por procuração entre duas potências ideológicas mundiais do século XX. A área onde eu estava acomodado chama-se Miramar. É um antigo bairro português, com um passado colonial, onde se podem encontrar todas as embaixadas internacionais e, assim sendo, é nesta zona que vivem os estrangeiros e a elite angolana. Por trás de muros altos, onde se pode ver arame farpado e vidro partido no topo. Protegido por toda uma armada de guardas, que frequentemente se sentam e ficam em frente aos prédios 24 horas por dia a vigiar. Os guardas unem o seu passado como soldados de diferentes lados durante a guerra civil. Eles serviram o MPLA, o partido no poder e lutaram contra os rebeldes da UNITA, apoiados pelo Ocidente, assim com o Congo apoiou o FNLA, ou vice-versa. Dependendo da situação de pagamento e ordem, algumas vezes para um e depois novamente para a outra parte da guerra. Dada a sua experiência militar, hoje em dia são apoiados pelas grandes companhias, principalmente, pelas de Petróleo das cidades, e são responsáveis pela segurança de uma elite extremamente rica. Ainda assim, são como mercenários contratados por uma miserável remuneração. Com a minha série de retratos dos "Guardas de Miramar" em conjunto com o mobiliário para sentar, objetos estes de espera e testemunho, quero contar-vos sobre tudo isto.

Actualizado

el 11 sep de 2020