Enseña tus OBRAS en ARTEINFORMADO. ¡Cada día, más personas las miran!
`O Diafáno da Alexitimia´ by Thomas Baccaro
Evento finalizado
19
oct 2016
10
dic 2016

Compártelo

Cuándo: 19 oct de 2016 - 10 dic de 2016
Inauguración: 18 oct de 2016 / 19:00
Horario: Seg. a sex., das 10h às 19h Sábado: 11h às 16h
Precio: Entrada gratuita
Dónde: Bolsa de Arte - São Paulo / Rua Mourato Coelho, 790. Vila Madalena / São Paulo, Sao Paulo, Brasil
Organizada por: Bolsa de Arte
Artistas participantes: Thomas Baccaro
Teléfonos: +5511964341331
Correo electrónico: tbaccaro@gmail.com
Etiquetas:
Publicada el 16 sep de 2016      Vista 169 veces

Descripción de la Exposición

Galeria Bolsa de Arte abre, no dia 18 de outubro, a exposição O DIÁFANO DA ALEXITIMIA de THOMAS BACCARO A transparente dificuldade em verbalizar emoções e descrever sentimentos “O Diáfano da Alexitimia”*, vigésima individual do artista Thomas Baccaro, abre no dia 18 de outubro, na Galeria Bolsa de Arte, na Vila Madalena, em São Paulo. Estarão expostas 74 imagens, ampliadas em papel 100% algodão Belas Artes e impressas com pigmento mineral. Algumas destas imagens irão sofrer a interferência direta do artista, com tinta, linha, cera, entre outros materiais, transformando-as em obras únicas e exclusivas. “Durante viagens a Itália, aos pés dos brancos e verdes Alpes Apuanos, ao norte da Toscana, entre as rochosas montanhas e o brilhante mar Mediterrâneo, pude contemplar a extração do branco mármore de Carrara, o mesmo usado por Michelangelo para esculpir suas magnificas esculturas. Enquanto observava as pedras em sua forma bruta me conscientizei da dificuldade em descrever sentimentos e a facilidade em senti-los, em transformar em concreto o que é em abstrato”, fala o fotógrafo Thomas Baccaro sobre a inspiração para este novo trabalho. A escolha do nome para esta exposição tenta sintetizar este momento. Enquanto Diáfano significa transparente, a palavra Alexitimia, que vem do grego, embute em sua tradução a grande dificuldade em verbalizar emoções e descrever sentimentos. Nas imagens, afrescos milenares, retalhos de corpos, corações aprisionados, anjos, demônios, olhares, gestos, sensações e desejos, inspiração e apropriação, o revelar do enigma através do olhar. Em cada uma das imagens, o artista surpreende com sua capacidade de modificar, aplicando ao objeto texturas e formas. Ao criar, concede ao ser criado parte de sua alma. E apesar da áspera frieza da vida, dá a sua obra forma e sentimentos, tal qual o mármore cru, que aguarda as mãos de seu interventor, para mais uma passagem em direção a quem o contempla. "Sinto que estou a procura dos extremos do suportar, sou feito de fragmentos, construídos da complexidade da vida, a verdade a mim prometida nunca fez sentido, e compartilhar é o que satisfaz a minha alma. E assim me reconheço na luta primitiva pela vida, sou aquilo que de mim observo, e desta forma eu crio, entendo e oferto. Proponho iniciar um dialogo diáfano, espontâneo e transgressivo, discuto o que é real e imaginário, releitura do ponto de vista subversivo, apropriação do inacabado, do imaginário, largado e deixado, do imperfeito, do corpo, do desejo e da forma. Vejo fragmentos, inicio assim minha releitura do que é, analiso resquícios da humanidade a mim prometida, e descubro que parte terei de recriá-la, a metamorfose entre sombras, luzes e cores. Aqui eu procuro ilustrar as questões dentro da minha visão, o sentido da vida, a realidade da dor, da aceitação, da alma, isto tudo talvez possa ser traduzido neste período em que o ser errante contempla, estuda e constrói a busca do crescimento e da evolução, com o olhar puro nas linhas limpas das estruturas rochosas. É nesse momento de clareza que me é permitido ver e sentir, a existência da beleza e a magia que estamos a experimentar. Em meu trabalho estou ciente da importância da memória, no encontro do passado com o presente, no poder do homem de tirar do bruto, da dor e da luta a verdadeira beleza, e assim transformar. A união do meu passado ao presente e ao futuro se faz neste instante.” Thomas Baccaro 2016 O Diáfano da Alexitimia Exposição de fotos de Thomas Baccaro 74 imagens em papel algodão Belas Artes 100% algodão Impresso com pigmento mineral Data da abertura: 18 de outubro Período de exposição: de 19 de outubro a 19 de novembro Bolsa de Arte Rua Mourato Coelho, 790 São Paulo | SP +55 11 30979673 / 38127137 www.bolsadearte.com.br * Alexitimia: A palavra provém do grego, onde A indica ausência, lexis é palavra e timia, emoção. Hoje o termo diz respeito à marcante dificuldade em verbalizar emoções e descrever sentimentos, bem como sensações corporais. Um dos principais sintomas é a confusão entre sensações e sentimentos, e a grande dificuldade em traduzi-los através de palavras. Diáfano: Transparente; que possibilita a passagem da luz através de sua massa compacta sem que haja prejuízo na percepção das formas dos objetos; translúcido. Sobre Thomas Baccaro - "O artista torna-se um grande artista não só é pelo seu talento, mas também pelo seu processo de vida." Thomas Baccaro, 1975, trás na família suas referências artísticas; seus pais, os italianos, Giuseppe Baccaro, galerista, negociante de arte e leiloeiro, nos anos 70 e 80, e sua mãe, Fiorella Giovagnoli, artista e ex-proprietária do lendário restaurante italiano Da Fiorella, seus padrastos Hector Babenco diretor de cinema e Mario Cravo Neto fotógrafo. Nasceu e cresceu entre galerias, museus, quadros, fotografias, gravuras, livros e artistas. Hoje acumula mais de 19 exibições individuais ( 46 exposições total ) em seu histórico artístico, através de experiências pessoais e profissionais, desenvolve interesse e respeito pela linguagem artística. Baccaro já trabalhou em vários estúdios de fotografia dentro de agências de publicidade, como DPZ e AlmapBBDO, trabalhou como assistente pessoal de importantes fotógrafos, como Mario Cravo Neto, Claudio Edinger, Thomas Susemihl, Manolo Moran, David Zalben, Marcelo Lerner, Silvio Pinhatti, entre outros. Recebeu prêmios consecutivos; Mostra Istituzionale Forte Sangallo di Nettuno Contemporary Art 2012 (1º prêmio); "Prêmio Jovem Revelação" (1º prêmio) 1998; no Museu de Arte Contemporânea Americana, São Paulo; Colunista Norte / Nordeste, 2000 a 2008 consecutivos; ArtePadova 2012 Padova Italia,(3º prêmio); PREMIO CATS - Contemporanea Arte Talent (2º prêmio); RezArte PremioTricolore (1º prêmio) / Reggio Emilia - Italia 2014; prêmio Latin American Fotografía 3, 2014. Importantes exposições a exemplo de "DEEP" e “NYSV” em São Paulo, “MIGRATION ART” United Nations e "BETWEEN LIGHT AND SHADOW" em New York, apoio ao IMIP Santander Cultural em Recife de 2009 a 2015, Literatura de Cordel em Marselha, França 2005, Photo of Humanities em Montreal, Canadá 1999. Thomas imprime seu refinamento sobre aquilo que pode remeter a espiritualidade, movimento, alcance e tempo, sempre trazendo a intensidade de elementos vivos elegantemente balanceados com sua mente silenciosa, e no processo de vida, seu instinto nato por qualidade é lapidado continuamente, visível desde a constante honra por suas raízes familiares, seu forte contexto e convívio cultural até o cuidado e dedicação por cada obra durante todo o processo de finalização e acabamento, com um talento que está sempre em evolução, persiste pela beleza peculiar e destila sua essência em resultados: aquilo para o qual ele sempre trabalhou e o torna cada vez mais maduro. Nos últimos anos vem executando trabalhos e exposições no Brasil, Estados Unidos e Europa.

Documentos relacionados

Actualizado

el 22 nov de 2016

Contactar

¿Quieres contactar con el gestor de la ficha?

¡Suscríbase y reciba regularmente nuestro Boletín de Noticias del Mercado del Arte!

Suscribirme