Gonçalo Sena – Cortesía de Galeria Quadrado Azul
Evento finalizado
10
mar 2018
14
abr 2018

Compártelo en redes

Cuándo: 10 mar de 2018 - 14 abr de 2018
Inauguración: 10 mar de 2018
Precio: Entrada gratuita
Dónde: Galería Quadrado Azul - Oporto / Rua Miguel Bombarda, 578 / Oporto, Porto, Portugal
Organizada por: Galeria Quadrado Azul
Artistas participantes: Gonçalo Sena
Etiquetas:
Publicada el 07 mar de 2018      Vista 88 veces

Descripción de la Exposición

Praia Falha é a segunda exposição individual de Gonçalo Sena na Galeria Quadrado Azul (Porto), na qual será apresentado um novo grupo de esculturas. Enquadradas na paisagem subjectiva que as duas palavras que compõem o título da exposição sugerem, as obras encontram-se em processo de transformação e redefinição até à véspera da inauguração, tomando o evento expositivo como um momento de suspensão deste processo, cristalizado na composição espacial que os vários elementos escultóricos desenham na arquitectura da galeria. Em Praia Falha, Sena propõe um vocabulário escultórico de formas, escalas e materiais – resultado do diálogo entre formas geométricas e orgânicas, metodologia e acidente, precisão e amadorismo – traduzido em assemblages escultóricas que, tal como palavras numa frase, ocupam um lugar temporário no espaço para a sua leitura e percepção. Este vocabulário consiste em peças de resina moldadas a partir de fragmentos arquitectónicos de madeira, objectos côncavos em cimento e poliuretano que simulam estruturas porosas naturais, objectos encontrados, entre outros. Tendo como ponto de partida o desenho, a prática de Gonçalo Sena é maioritariamente escultórica. As suas obras apresentam-se em estreita relação com a arquitectura do espaço expositivo e exploram tópicos como narrativas fragmentadas, estruturas de linguagem em relação com materialidade ou sistemas de composição espacial. Os seus trabalhos mais recentes consistem em estruturas híbridas não-funcionais de cimento em diálogo com objectos do quotidiano e materiais orgânicos. Sena recorre ao formato expositivo enquanto acto de publicação temporária, no qual o processo de montagem funciona como um processo de edição de elementos no espaço, para uma percepção visual e corpórea em constante mutação. Gonçalo Sena (Portugal, 1984) vive e trabalha em Berlim. Sena é licenciado em Design de Comunicação pela Faculdade de Belas Artes de Lisboa (2007) e recebeu o Mestrado em Belas Artes no Dutch Art Institute, Arnhem (2011). Participou nas residências artísticas Le Pavillon, Palais de Tokyo, Paris (2012-13), XX CSAV – Artists Research Laboratory, com Tacita Dean, Fondazione Antonio Ratti, Como, Itália (2014), e Skowhegan School of Painting and Sculpture, Maine, EUA (2015). Exposições individuais incluem Porcino Gallery – ChertLüdde, Berlim (2018), Kunstraum Botschaft, Berlim (2017), Quadrado Azul, Lisboa (2017), Galería Heinrich Ehrhardt, Madrid (2015), die raum, Berlim (2015), Uma Certa Falta de Coerência, Porto (2014), entre outras. Exposições coletivas incluem MAAT, Lisboa (2016), Cordoaria Nacional, Lisboa (2015), DISTRICT, Berlim (2015), Syntax, Lisboa (2014), Palais de Tokyo, Paris (2013), Parkour, Lisboa (2012), Spike Island, Bristol (2008), entre outras. Sena foi nomeado para o Prémio EDP Novos Artistas 2009, Lisboa (2009), e para o Berlin Art Prize, Berlim (2015). Sena é também co-fundador da editora independente ATLAS Projectos (com André Romão e Nuno da Luz). Praia Falha é a segunda exposição individual de Gonçalo Sena na Galeria Quadrado Azul (Porto), na qual será apresentado um novo grupo de esculturas. Enquadradas na paisagem subjectiva que as duas palavras que compõem o título da exposição sugerem, as obras encontram-se em processo de transformação e redefinição até à véspera da inauguração, tomando o evento expositivo como um momento de suspensão deste processo, cristalizado na composição espacial que os vários elementos escultóricos desenham na arquitectura da galeria. Em Praia Falha, Sena propõe um vocabulário escultórico de formas, escalas e materiais – resultado do diálogo entre formas geométricas e orgânicas, metodologia e acidente, precisão e amadorismo – traduzido em assemblages escultóricas que, tal como palavras numa frase, ocupam um lugar temporário no espaço para a sua leitura e percepção. Este vocabulário consiste em peças de resina moldadas a partir de fragmentos arquitectónicos de madeira, objectos côncavos em cimento e poliuretano que simulam estruturas porosas naturais, objectos encontrados, entre outros. Tendo como ponto de partida o desenho, a prática de Gonçalo Sena é maioritariamente escultórica. As suas obras apresentam-se em estreita relação com a arquitectura do espaço expositivo e exploram tópicos como narrativas fragmentadas, estruturas de linguagem em relação com materialidade ou sistemas de composição espacial. Os seus trabalhos mais recentes consistem em estruturas híbridas não-funcionais de cimento em diálogo com objectos do quotidiano e materiais orgânicos. Sena recorre ao formato expositivo enquanto acto de publicação temporária, no qual o processo de montagem funciona como um processo de edição de elementos no espaço, para uma percepção visual e corpórea em constante mutação. Gonçalo Sena (Portugal, 1984) vive e trabalha em Berlim. Sena é licenciado em Design de Comunicação pela Faculdade de Belas Artes de Lisboa (2007) e recebeu o Mestrado em Belas Artes no Dutch Art Institute, Arnhem (2011). Participou nas residências artísticas Le Pavillon, Palais de Tokyo, Paris (2012-13), XX CSAV – Artists Research Laboratory, com Tacita Dean, Fondazione Antonio Ratti, Como, Itália (2014), e Skowhegan School of Painting and Sculpture, Maine, EUA (2015). Exposições individuais incluem Porcino Gallery – ChertLüdde, Berlim (2018), Kunstraum Botschaft, Berlim (2017), Quadrado Azul, Lisboa (2017), Galería Heinrich Ehrhardt, Madrid (2015), die raum, Berlim (2015), Uma Certa Falta de Coerência, Porto (2014), entre outras. Exposições coletivas incluem MAAT, Lisboa (2016), Cordoaria Nacional, Lisboa (2015), DISTRICT, Berlim (2015), Syntax, Lisboa (2014), Palais de Tokyo, Paris (2013), Parkour, Lisboa (2012), Spike Island, Bristol (2008), entre outras. Sena foi nomeado para o Prémio EDP Novos Artistas 2009, Lisboa (2009), e para o Berlin Art Prize, Berlim (2015). Sena é também co-fundador da editora independente ATLAS Projectos (com André Romão e Nuno da Luz). Praia Falha é a segunda exposição individual de Gonçalo Sena na Galeria Quadrado Azul (Porto), na qual será apresentado um novo grupo de esculturas. Enquadradas na paisagem subjectiva que as duas palavras que compõem o título da exposição sugerem, as obras encontram-se em processo de transformação e redefinição até à véspera da inauguração, tomando o evento expositivo como um momento de suspensão deste processo, cristalizado na composição espacial que os vários elementos escultóricos desenham na arquitectura da galeria. Em Praia Falha, Sena propõe um vocabulário escultórico de formas, escalas e materiais – resultado do diálogo entre formas geométricas e orgânicas, metodologia e acidente, precisão e amadorismo – traduzido em assemblages escultóricas que, tal como palavras numa frase, ocupam um lugar temporário no espaço para a sua leitura e percepção. Este vocabulário consiste em peças de resina moldadas a partir de fragmentos arquitectónicos de madeira, objectos côncavos em cimento e poliuretano que simulam estruturas porosas naturais, objectos encontrados, entre outros. Tendo como ponto de partida o desenho, a prática de Gonçalo Sena é maioritariamente escultórica. As suas obras apresentam-se em estreita relação com a arquitectura do espaço expositivo e exploram tópicos como narrativas fragmentadas, estruturas de linguagem em relação com materialidade ou sistemas de composição espacial. Os seus trabalhos mais recentes consistem em estruturas híbridas não-funcionais de cimento em diálogo com objectos do quotidiano e materiais orgânicos. Sena recorre ao formato expositivo enquanto acto de publicação temporária, no qual o processo de montagem funciona como um processo de edição de elementos no espaço, para uma percepção visual e corpórea em constante mutação. Gonçalo Sena (Portugal, 1984) vive e trabalha em Berlim. Sena é licenciado em Design de Comunicação pela Faculdade de Belas Artes de Lisboa (2007) e recebeu o Mestrado em Belas Artes no Dutch Art Institute, Arnhem (2011). Participou nas residências artísticas Le Pavillon, Palais de Tokyo, Paris (2012-13), XX CSAV – Artists Research Laboratory, com Tacita Dean, Fondazione Antonio Ratti, Como, Itália (2014), e Skowhegan School of Painting and Sculpture, Maine, EUA (2015). Exposições individuais incluem Porcino Gallery – ChertLüdde, Berlim (2018), Kunstraum Botschaft, Berlim (2017), Quadrado Azul, Lisboa (2017), Galería Heinrich Ehrhardt, Madrid (2015), die raum, Berlim (2015), Uma Certa Falta de Coerência, Porto (2014), entre outras. Exposições coletivas incluem MAAT, Lisboa (2016), Cordoaria Nacional, Lisboa (2015), DISTRICT, Berlim (2015), Syntax, Lisboa (2014), Palais de Tokyo, Paris (2013), Parkour, Lisboa (2012), Spike Island, Bristol (2008), entre outras. Sena foi nomeado para o Prémio EDP Novos Artistas 2009, Lisboa (2009), e para o Berlin Art Prize, Berlim (2015). Sena é também co-fundador da editora independente ATLAS Projectos (com André Romão e Nuno da Luz).

Actualizado

el 07 mar de 2018 por ARTEINFORMADO

Contactar

¿Quieres contactar con el gestor de la ficha?

Descubre más obras en ARTEINFORMADO

{{ artwork.title | limitTo:16 }}, {{ artwork.year }}
{{ artwork.artistName | limitTo:28 }}
Compártelo en redes
16 nov - 17 nov
L A Projects - Lavagne & Asociados / Madrid, España
ArtCity

Descárgate ArtCity, la app que te dice que exposiciones tienes cerca.

Más información

¡Suscríbase y reciba regularmente nuestro Boletín de Noticias del Mercado del Arte!

Suscribirme
volver arriba