Vocabulário para fixar vertigens
Evento finalizado
15
jun 2019
17
ago 2019

Compártelo en redes

Cuándo: 15 jun de 2019 - 17 ago de 2019
Inauguración: 15 jun de 2019
Dónde: Galeria Raquel Arnaud / Rua Fidalga, 125 - Vila Madalena / São Paulo, Sao Paulo, Brasil
Comisariada por: Isabella Lenzi
Organizada por: Galeria Raquel Arnaud
Artistas participantes: Raúl Díaz Reyes
Enlaces oficiales Web 
Etiquetas:
Publicada el 24 jun de 2019      Vista 22 veces

Descripción de la Exposición

“Inventei a cor das vogais! – A negro, E branco, I rubro, O azul, U verde. Regulei a forma e o movimento de cada consoante, e, com ritmos instintivos, me vangloriava de inventar um verbo poético acessível, mais dia menos dia, a todos os sentidos. Eu me reservava à tradução. A princípio, era apenas um estudo. Escrevia silêncios, noites, anotava o inexprimível. Fixava vertigens.” Arthur Rimbaud[1] Raúl Díaz Reyes preenche as quatro paredes da sala de exposição com um alfabeto de cores e formas. Em sua segunda individual em São Paulo, o artista espanhol espalha pelo espaço pequenos elementos bidimensionais de acrílico. Em grande parte geométricas, as peças azuis, pretas e vermelhas não são letras propriamente ditas. Nascem do encontro de formas puras, triângulos, círculos e quadrados, em um processo de adição, recorte e subtração que dá origem a novas configurações. Outras delas são mais espontâneas e gestuais. Juntas, constituem um vocabulário de signos que, por vezes, remetem a desenhos conhecidos e rapidamente identificáveis, próximos a ícones e logos, ao universo urbano e à publicidade.

Documentos relacionados

Actualizado

el 02 jul de 2019

Descubre más obras en ARTEINFORMADO

{{ artwork.title | limitTo:16 }}, {{ artwork.year }}
{{ artwork.artistName | limitTo:28 }}
Compártelo en redes
06 sep - 04 oct
Exposición en CN Lagasca / Madrid, España
ArtCity

Descárgate ArtCity, la app que te dice que exposiciones tienes cerca.

Más información

¡Suscríbase y reciba regularmente nuestro Boletín de Noticias del Mercado del Arte!

Suscribirme
volver arriba