Cortesía del Governo do Rio de Janeiro

Compártelo en redes

Nacimiento: 1941 en Santa Maria, Rio Grande do Sul, Brasil
Residencia: Reside en Rio de Janeiro, Brasil
Profesionales que le han comisariado:
Galerías y otras organizaciones que le representan: Almacén Thebaldi Galeria, Bolsa de Arte, MDM Gallery (ex 11bis Project Space)
Enlaces oficiales Web 
Etiquetas:
Publicada el 03 jun de 2014      Vista 767 veces

Descripción del Artista

Carlos Augusto Caminha Vergara dos Santos (Santa Maria, Rio Grande do Sul, 1941). Gravador, fotógrafo e pintor. Na década de 1950, transfere-se para o Rio de Janeiro, e, paralelamente à atividade de analista de laboratório, dedica-se ao artesanato de jóias, que são expostas na 7ª Bienal Internacional de São Paulo em 1963. Nesse mesmo ano, volta-se para o desenho e a pintura, realizando estudos com Iberê Camargo (1914-1994). Participa das mostras Opinião 65 e 66, no Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro (MAM/RJ). Em 1967, é um dos organizadores da mostra Nova Objetividade Brasileira, que procura fazer um balanço da vanguarda brasileira. Atua ainda como cenógrafo e figurinista de peças teatrais. Nesse período, produz pinturas figurativas, que revelam afinidades com o expressionismo e a arte pop. Durante a década de 1970, utiliza a fotografia e filmes Super-8 para estabelecer reflexões sobre a realidade. O carnaval passa a ser também objeto de sua pesquisa. Atua ainda em colaboração com arquitetos, realizando painéis para diversos edifícios, empregando materiais e técnicas do artesanato popular. Em 1972, publica o caderno de desenhos Texto em Branco, pela editora Nova Fronteira. Durante os anos 1980, volta à pintura, produzindo quadros abstratos geométricos, nos quais explora, principalmente, tramas de losangos que determinam campos cromáticos. Desde o fim dos anos 1980, emprega pigmentos naturais e minérios, com os quais produz a base para trabalhos em superfícies diversas. Em 1997, realiza a série Monotipias do Pantanal, na qual explora o contato direto com o meio natural, transferindo para a tela texturas de pedras ou folhas, entre outros procedimentos. Análise Ainda jovem Carlos Vergara começa a trabalhar com cerâmica, e no início da década de 1960, faz jóias de prata e cobre. Mostra 13 dessas peças na 7ª Bienal Internacional de São Paulo, em 1963. Nesse ano, inicia curso de desenho e pintura com Iberê Camargo, e produz, até 1967, pinturas figurativas, com pinceladas ágeis e traço caricatural, além de um tratamento expressionista. O crítico de arte Paulo Sérgio Duarte compara esses trabalhos às pinturas do Grupo CoBrA, de artistas como Acir Juram (1914-1973) e Karel Appel (1921-2006), pelo "culto à liberdade expressiva, apropriação do desenho infantil, elogio do primitivo e do louco".1 Em 1965, participa da mostra Opinião 65 com estes três trabalhos: O General, Vote e Patronesse. A partir de 1966, Vergara incorpora à sua base expressionista ícones gráficos e elementos da arte pop. Ele faz seus primeiros trabalhos de arte aplicada, como o mural para a Escola de Saúde Pública de Manguinhos e a cenografia para o grupo de teatro Tablado, ambos no Rio de Janeiro, em 1966. Em 1968, passa a pintar sobre superfícies de acrílico, fazendo desaparecer as marcas artesanais de sua prática pictórica. No mesmo ano, explora novas linguagens e mostra o ambiente Berço Esplêndido, na Galeria Art Art, em São Paulo. O trabalho combina as investigações sensoriais de artistas como Hélio Oiticica (1937-1980) com a denúncia política. Desde a década de 1980, Vergara dedica-se mais decididamente à pintura. Utiliza em seus trabalhos pigmentos naturais, retirados de minérios, materiais que também usa na produção de monotipias, muitas delas realizadas em ambientes naturais, como o Pantanal Mato-Grossense. Notas 1 DUARTE, Paulo Sérgio. Carlos Vergara. Rio de Janeiro: Santander Cultural, 2003. p. 94.

Actualizado

el 04 abr de 2019

Exposiciones en las que ha participado como artista

Esculturas da série "Natureza inventada"
01 abr de 2019 - 11 may de 2019

Carlos Vergara

Bolsa de Arte - São Paulo / São Paulo, Sao Paulo, Brasil

NATUREZA INVENTADA. Imagen cortesía Bolsa de Arte de Porto Alegre
28 mar de 2018 - 26 may de 2018

Natureza Inventada

Bolsa de Arte / Porto Alegre, Rio Grande do Sul, Brasil

Carlos Vergara, Sudário
06 jun de 2016 - 23 jul de 2016

Carlos Vergara – Um Percurso em imagens

Centro Municipal de Arte Hélio Oiticica / Rio de Janeiro, Brasil


Pequenos formatos
20 mar de 2019 - 26 abr de 2019

Pequenos formatos

Mercedes Viegas Arte Contemporânea / Rio de Janeiro, Brasil

Regina Silveira, Trans-Amazonian Highway, 1977. Digital print. Photo: Estúdio de Arte. Courtesy of Regina Silveira.
28 feb de 2019 - 24 mar de 2019

14 contemporary artists from Southern Brazil and Germany

Leipziger Baumwollspinnerei / Leipzig, Sachsen, Alemania

Imagem: Iberê Camargo. Estrutura em Movimento, 1962. Foto © Fabio Del Re_VivaFoto.
26 ene de 2019 - 10 mar de 2019

Ateliê de Gravura: da tradição à experimentação

Fundación Ibere Camargo / Porto Alegre, Rio Grande do Sul, Brasil


Descubre más obras en ARTEINFORMADO

{{ artwork.title | limitTo:16 }}, {{ artwork.year }}
{{ artwork.artistName | limitTo:28 }}
Compártelo en redes

Noticias relacionadas

volver arriba