¿Crees que es TIEMPO DE ACTUAR? ¡Publica tus OBRAS que reflexionen sobre ello antes del próximo día 21!
Publicada el 27 ago de 2019      Vista 11 veces

Descripción de la Organización

Coleção Santander Brasil Atuamos na preservação, ampliação e difusão do patrimônio das nossas artes visuais e memória institucional. Conheça Responsável pela gestão da coleção de arte e memória institucional do Santander no Brasil, tem como objetivo colocar esse patrimônio a serviço da sociedade, demonstrando seu compromisso com a valorização da cultura brasileira. Dentre as ações voltadas à coleção de artes visuais, desenvolve um rigoroso trabalho de pesquisa, catalogação, conservação e restauro, bem como promove sua difusão por meio de exposições, visitas orientadas, projetos e atividades educativas que levam a arte para os ambientes corporativos. Dedica-se ainda a ampliar a coleção por meio de novas aquisições de obras de artistas brasileiros contemporâneos. Cuida também da gestão dos registros da memória institucional dos bancos que foram incorporados ao Santander em seu processo de crescimento no Brasil, compostos por objetos, documentos, fotografias, publicações, depoimentos e patrimônio arquitetônico de interesse histórico. Composto por dois mil trabalhos majoritariamente por pinturas e gravuras – e, em menor número, desenhos, fotografias e outros suportes – de artistas brasileiros e estrangeiros residentes no Brasil, produzidas a partir da década de 1940 até os dias atuais. Destacam-se obras do modernismo, do construtivismo e da abstração informal, além de trabalhos de artistas contemporâneos. O acervo também compreende diferentes manifestações culturais, incluindo a arte popular e a cartografia do século 17 ao 19. Um traço característico do processo de formação da coleção, comum a outras coleções corporativas constituídas no Brasil e no mundo, é que, ao longo do tempo, foram incorporadas obras recém produzidas, ou seja, que refletiam a arte daquele momento, fomentando assim o trabalho dos artistas em atividade. Essa abordagem faz da Coleção Santander Brasil uma coleção contemporânea a seu tempo, tanto ontem como hoje. Da convicção da importância da arte na vida de todos nós como fonte de inspiração e transformação nasceu o programa Convivendo com Arte, que leva a coleção ao ambiente de trabalho dos colaboradores Santander. Desde o início de 2010, mais de 330 obras foram instaladas nos vários andares do edifício-sede do Santander Brasil, em São Paulo, distribuídas segundo temas com o intuito de orientar o olhar e abrir múltiplas possibilidades de leitura. Recebemos vários depoimentos de funcionários, comentando que o convívio com a arte lhes trouxe a sensação de acolhimento, familiaridade com o ambiente de trabalho e a possibilidade de despertar o olhar e a criatividade. Outros ainda manifestaram seu orgulho de pertencer a uma organização que preserva a sua memória e o patrimônio brasileiro. As exposições da Sala de Arte Santander apresentam a produção artística brasileira que vem se destacando em exposições no país e no exterior, numa abordagem atraente e de simples compreensão. O contato com trabalhos em múltiplos meios de expressão – pinturas, fotografias, objetos, desenhos, vídeos e instalações – procura colocar o público em sintonia com a produção e o mercado de arte nacionais. A iniciativa, idealizada com o objetivo tornar a arte contemporânea mais acessível, é também uma forma de incentivo a novos artistas, fomentando o talento e a criatividade. As exposições temporárias vêm sendo também um estímulo para a ampliação da Coleção Santander, por meio da aquisição de alguns dos trabalhos exibidos. Exposições itinerantes Narrativas Poéticas – Coleção Santander Brasil Levar a arte brasileira a um público amplo e oferecer múltiplas possibilidades de leitura para as obras da Coleção Santander Brasil, de uma maneira convidativa e acessível. Esses foram os objetivos que nos guiaram na realização da exposição Narrativas Poéticas, com curadoria de Helena Severo, Antonio Cícero, Eucanaâ Ferraz e Franklin Pedroso, que propõe um instigante diálogo entre a produção das artes plásticas e a poesia brasileiras. Entre as cerca de 80 obras que fizeram parte da exposição destacaram-se pinturas, gravuras e desenhos de expoentes do modernismo brasileiro, como Candido Portinari, Emiliano Di Cavalcanti, Alfredo Volpi, Iberê Camargo e Tomie Ohtake, e também trabalhos recentes, de artistas como Tuca Reinés, Fernanda Rappa e Renata de Bonis. A exposição recebeu mais de 270 mil visitantes, desde 2013 até 2015, nas capitais brasileiras por quais passou: - Rio de Janeiro (RJ) - Museu Nacional de Belas Artes - de 04/09 a 01/11/2015; - João Pessoa (PB) – Fundação Espaço Cultural da Paraíba - de 17/06 a 16/08/2015; - Salvador (BA) - Palacete das Artes - de 18/03 a 31/05/2015; - Fortaleza (CE) - Espaço Cultural Unifor - de 29/10/2014 a 11/01/2015; - Recife (PE) - Museu do Estado de Pernambuco - de 27/08 a 12/10/2014; - São Paulo (SP) - Museu da Língua Portuguesa - 24/03 a 10/08/2014; - Belo Horizonte (MG) - Museu Inimá de Paula - de 23/10 a 26/01/2014; - Brasília (DF) - Museu Nacional da República - de 14/08 a 29/09/2013; - Porto Alegre (RS) - Santander Cultural - de 22/05 a 14/07/2013.

Actualizado

el 27 ago de 2019

Contactar

¿Quieres contactar con el gestor de la ficha?