Enseña tus OBRAS en ARTEINFORMADO. ¡Cada día, más personas las miran!
Aline Motta: memória, viagem e água
01
sep 2020
30
sep 2021

Compártelo

Cuándo: 01 sep de 2020 - 30 sep de 2021
Inauguración: 01 sep de 2020
Dónde: Museu de Arte do Rio (MAR) / Praça Mauá, s/n / Rio de Janeiro, Brasil
Organizada por: Museu de Arte do Rio (MAR)
Artistas participantes: Aline Motta
Enlaces oficiales Web 
Publicada el 16 sep de 2020      Vista 12 veces

Descripción de la Exposición

LAS FECHAS INDICADAS SON SÓLO ORIENTATIVAS. MESMO FECHADO E SEM PREVISÃO DE REABERTURA, MUSEU DE ARTE DO RIO APRESENTA DUAS EXPOSIÇÕES INÉDITAS O MAR ainda não vai reabrir as portas, mas queremos muito compartilhar com vocês duas exposições incríveis que conseguimos montar, com todo o cuidado e segurança, durante os últimos meses. Por isso, a partir da terça-feira, dia 22 de setembro, Casa Carioca e Aline Motta: memória, viagem e água poderão ser visitadas em dias e horários pré-definidos. As inscrições são gratuitas, limitadas a 60 pessoas em cada faixa de horário (10h, 14h e 16h). Em setembro haverá visitação entre os dias 22 e 26. Acesse o site do MAR e inscreva-se agora! A visita terá duas horas de duração e não será permitida a entrada depois de 30 minutos do horário marcado no ingresso. Não se atrase! Para ter acesso ao museu será preciso estar portando máscara. O acessório deverá ser usado durante toda a permanência nos espaços. Além disso, o visitante deverá manter pelo menos 2 metros de distância dos demais presentes. Aline Motta: memória, viagem e água Inédita no Rio de Janeiro, a individual da artista fluminense Aline Motta convida o público a um denso mergulho na história de sua família, por meio de montagem imersiva que apresenta uma trilogia de videoinstalações de forma sequencial e dinâmica. Os três trabalhos – “Pontes sobre abismos” (2017), “Se o mar tivesse varandas” (2017) e “Outros fundamentos” (2019) – irão ocupar uma galeria do 1º andar do pavilhão de exposições. Por meio de sua obra, a artista se aprofunda em histórias ligadas à escravidão negra e de como sua família – de um lado portuguesa, de outro africana e afro-brasileira – é atravessada por essas relações desiguais que definem as particularidades da sociedade brasileira. Com as videoinstalações, a artista aborda essas questões de maneira poética, propondo um mergulho em suas próprias vivências e memórias. Aline Motta: memória, viagem e água Inédita no Rio de Janeiro, a individual da artista fluminense Aline Motta convida o público a um denso mergulho na história de sua família, por meio de montagem imersiva que apresenta uma trilogia de videoinstalações de forma sequencial e dinâmica. Os três trabalhos – “Pontes sobre abismos” (2017), “Se o mar tivesse varandas” (2017) e “Outros fundamentos” (2019) – irão ocupar uma galeria do 1º andar do pavilhão de exposições. Por meio de sua obra, a artista se aprofunda em histórias ligadas à escravidão negra e de como sua família – de um lado portuguesa, de outro africana e afro-brasileira – é atravessada por essas relações desiguais que definem as particularidades da sociedade brasileira. Com as videoinstalações, a artista aborda essas questões de maneira poética, propondo um mergulho em suas próprias vivências e memórias.

Actualizado

el 16 sep de 2020