Enseña tus OBRAS en ARTEINFORMADO. ¡Cada día, más personas las miran!
House Hunting + Bright Black World
01
oct 2020
03
ene 2021

Compártelo

Cuándo: 01 oct de 2020 - 03 ene de 2021
Inauguración: 01 oct de 2020
Dónde: MNAC-Museu Nacional de Arte Contemporânea - Museu do Chiado / Rua Serpa Pinto, 4 / Lisboa, Portugal
Organizada por: MNAC-Museu Nacional de Arte Contemporânea do Chiado
Artistas participantes: Todd Hido
Enlaces oficiales Web 
Etiquetas:
Eventos relacionados: Imago Lisboa Photo Festival 2020
Publicada el 02 oct de 2020      Vista 21 veces

Descripción de la Exposición

O MNAC é, mais uma vez, parceiro do festival Imago Lisboa, cujas propostas expositivas serão distribuídas por vários espaços da cidade, corporizando novas visões na Fotografia Contemporânea. Nesta 2.ª edição, o festival de fotografia pretende dar continuidade a um acontecimento regular que potencialize as diferentes práticas fotográficas contemporâneas, sem esquecer a apresentação de autores de reconhecido valor histórico, cujo conhecimento é essencial para a compreensão das atuais narrativas. Em paralelo às exposições estão programadas um conjunto de ações tendentes à motivação e participação de novas audiências. Todd Hido (EUA) — House Hunting + Bright Black World 1 de Outubro a 3 de Janeiro de 2021 O MNAC acolhe, na presente edição e pela primeira vez no nosso país, o magnífico trabalho do fotógrafo americano, Todd Hido, cuja obra será exposta a partir de 01 de outubro de 2020 e até janeiro de 2021. Duas séries de imagens integram esta presença de Todd Hido no MNAC: House Hunting é a imagem perfeita das perambulações artísticas e físicas de Todd Hido; o artista viajou de carro pela América para capturar o seu mistério. O assunto é claro, intitulado sem floreados: casas vistas à noite. E, no entanto, o tratamento da imagem, tão reconhecível, leva os espectadores a um simbolismo mais romântico, tingido com uma certa nostalgia. O seu filtro artístico é nebuloso como a mente. Para tornar a nossa imaginação mais fecunda e estimular as nossas projeções, a presença da humanidade é meramente implícita. Silhueta de fantoche sem sombra. Essa ausência reforça a carga misteriosa da obra, e apenas através do brilho fraco que emana dessas casas é que achamos que elas são habitadas. Em Bright Black World, o fotógrafo sai dos subúrbios americanos para explorar as paisagens desoladas do norte da Europa. A geografia e a interpretação psicológica são totalmente diferentes: embora ainda brinque com a dualidade estética que caracteriza o seu trabalho, entre estranheza e sublime, luz e sombra, o planeta que ele aqui descreve é um território pós-apocalíptico desconhecido. A humanidade sugerida nesta série desapareceu na escuridão, condenada pelos seus próprios erros.

Actualizado

el 02 oct de 2020
11 nov - 10 dic
Exposición en Die Ecke Arte Contemporáneo - Barcelona / Barcelona, España

¡Suscríbase y reciba regularmente nuestro Boletín de Noticias del Mercado del Arte!

Suscribirme