Utopia de colecionar o pluralismo da arte
13
abr 2019
14
jul 2019

Compártelo en redes

Publicada el 09 jun de 2019      Vista 2 veces

Descripción de la Exposición

Disseminar a arte brasileira e apresentar um recorte com trabalhos dos mais importantes artistas nacionais. Esse é o objetivo de Utopia de colecionar o pluralismo da arte, a nova exposição do acervo da Fundação Marcos Amaro (FMA), sediada na Fábrica de Arte Marcos Amaro (FAMA), em Itu, no interior do estado de São Paulo. No dia 13 de abril, a instituição abre mais uma mostra do acervo, com as mais recentes aquisições de nomes expoentes e em ascensão da cena artística do País. Com curadoria de Ricardo Resende, a mostra aponta para a singularidade da Coleção Marcos Amaro e Ksenia Kogan Amaro: a predileção do casal de colecionadores por esculturas e instalações de grande porte, que ocupam espaços amplos. A exemplo dos trabalhos Se Vende (2005), da artista Carmela Gross, que agora abriga a Sala 4 da Fundação, e A Cachoeira (1985), de Leda Catunda, apresentado pela primeira vez na 18ª Bienal de São Paulo, e que agora pode ser vista na Sala 2. “Ambas são obras emblemáticas, mas que, por suas dimensões, demoraram para encontrar o lugar ideal e definitivo em um acervo”, afirma o curador.

Actualizado

el 09 jun de 2019

Descubre más obras en ARTEINFORMADO

{{ artwork.title | limitTo:16 }}, {{ artwork.year }}
{{ artwork.artistName | limitTo:28 }}
Compártelo en redes
Traducción e interpretación

¡Suscríbase y reciba regularmente nuestro Boletín de Noticias del Mercado del Arte!

Suscribirme
volver arriba