¡Apoya a l@s artistas que te interesan! ¡Tiene PREMIO para ti y para ell@s!
WRS | Resistence, Revolution and Sunflower (the dreamers effect)
Evento finalizado
02
nov 2018
22
dic 2018

Compártelo

Cuándo: 02 nov de 2018 - 22 dic de 2018
Inauguración: 02 nov de 2018
Precio: Entrada gratuita
Dónde: Perve Galeria - Alfama / Rua das Escolas Gerais, 17-23 / Lisboa, Portugal
Comisariada por: Carlos Cabral Nunes
Organizada por: Perve Galeria
Eventos relacionados: WRS | Resistence, Revolution and Sunflower (the dreamers effect)
Publicada el 30 oct de 2018      Vista 24 veces

Descripción de la Exposición

A 2 de novembro, no dia em que cumpre o 5º aniversário da Casa da Liberdade - Mário Cesariny e em que passam 12 anos sobre a última exposição do poeta e pintor surrealista Mário Cesariny de Vasconcelos, ocorrida na Galeria Perve, as duas instituições abrem as portas conjuntamente para acolher a exposição coletiva "WRS | Resistence, Revolution and Sunflower (the dreamers effect)", que pretende refletir sobre as múltiplas guerras, não apenas as bélicas, que assolam a nossa vivência nas sociedades contemporâneas globalizadas. Subintitulada Resistência, Revolução e Girassol (o efeito dos sonhadores), a mostra reúne autores provenientes de diversas latitudes que têm demonstrado, ao longo do seu percurso artístico, uma constante atitude de inquietação perante o estado do mundo e os sucessivos conflitos que vão deflagrando. O mote desta exposição parte do projeto "War is Stupid" que foi iniciado em 2015 por Tchalé Figueira, autor cujo trabalho, desenvolvido a partir de Cabo-Verde, tem alcançado projeção internacional. A série aqui exposta reúne pinturas de grande dimensão que retratam a visão pessoal do artista sobre as atrocidades da guerra. Para além da guerra belicista evocada por este autor, a presente exposição procura refletir igualmente sobre as guerras de cariz ambiental, cultural, económico, político e social que afetam cada vez mais os cidadãos a uma escala e com efeitos nunca antes vistos, na história planetária, ameaçando profundamente a nossa existência futura. Para tal, apresenta-se uma seleção de obras que trazem consigo mensagens de evidência sobre esses conflitos passados e atuais mas também, através de multifacetadas proposições artísticas, os autores procuram estimular uma mudança na sociedade ou, pelo menos, consciencializar a população para as guerras que hoje proliferam a vários níveis e para as quais as suas vozes não podem ser silenciadas, procurando soluções válidas e perenes para as problemáticas que se colocam, não exclusivamente, às democracias ocidentais. Do conjunto de obras agora mostradas, destacam-se trabalhos reivindicativos de Manuel Figueira, que nos inserem na guerra de libertação de Cabo Verde; de Suekí e André de Castro, em forma de manifesto contra as estruturas governamentais em Angola; ou de Mário Macilau, que advertem para as condições desumanas das crianças de rua em Moçambique. O resultado é, assim, um diálogo entre a arte e o ativismo nas salas de exposição em Alfama. De acordo com o curador da mostra, Carlos Cabral Nunes, a exposição representa não só uma reflexão artística sobre a temática, mas também "um apelo à resiliência, resistência e insubmissão de todos os cidadãos que querem ser livres, que são democratas e prezam uma sociedade evoluída, plural e inclusiva". Decorrida a eleição presidencial no Brasil, que transformou aquele imenso país no palco gigantesco de confrontos civis e políticos, será determinante refletir sobre as origens desses conflitos e apontar formas de superação das problemáticas que se colocam ali mas também, de maneira abrangente, interferem com realidade contemporânea global de todos os seres, já que as suas implicações tenderam a estender-se também às temáticas ligadas à sustentabilidade e ecologia. "WRS | Resistence, Revolution and Sunflower (the dreamers effect)", é "também uma exposição-manifesto de apoio a todos os brasileiros que querem permanecer livres e a viver num estado de direito democrático livre e plural", acrescenta o curador, sublinhando que "a mostra procura relevar a esperança necessária em momentos como este, reunindo igualmente um núcleo de obras que visa, precisamente, funcionar como uma luz, no fundo deste túnel onde, subitamente, nos colocaram". A exposição pode ser vista na Casa da Liberdade - Mário Cesariny e na Perve Galeria até 22 de dezembro de 2018. Artistas participantes: Abraão Vicente (Cabo Verde); Alberto Chissano (Moçambique); Alex da Silva (Cabo Verde/Angola); André de Castro (Brasil); Ernesto Shikhani (Moçambique); Fernando Aguiar (Portugal); Jayme Reis (Brasil); Javier Félix (Colômbia); João Ribeiro (Portugal); José Chambel (São Tomé e Príncipe); Mário Macilau (Moçambique); Malangatana (Moçambique); Manuel Figueira (Cabo Verde); Marya Al Qassimi (Emirados Árabes Unidos); Miguel Huerta (Chile); Tchalé Figueira (Cabo Verde); Suekí (Angola); entre outros.

Documentos relacionados

Actualizado

el 30 oct de 2018
27 sep - 17 jun
Curso en Centro de Fotografía Contemporánea de Bilbao - CFC Bilbao / Bilbao, Vizcaya, España
15 ene - 15 jul
Premio en Santander, Cantabria, España

¡Suscríbase y reciba regularmente nuestro Boletín de Noticias del Mercado del Arte!

Suscribirme