Pipi Colonial

3 Actividad

Compártelo en redes

Creado en: 2016
Residencia: Reside en Lisboa, Portugal
Artistas comisariados:

Exposición/es:

Enlaces oficiales Web  Blog 
Etiquetas:
Publicada el 13 sep de 2017      Vista 89 veces

Descripción del Profesional del arte

O Pipi Colonial é um colectivo formado em Lisboa pelas investigadoras Ana Cristina Cachola, Daniela Agostinho e Joana Mayer que se expressa através da curadoria, da programação e da produção de pensamento crítico. O objectivo do Pipi Colonial é problematizar a teia de relações entre género e colonialidade a partir de uma perspectiva feminista, sistémica e interseccional, sem contudo obliterar a situacionalidade dos sujeitos de enunciação. Quer isto dizer que o colectivo não se furta à complexidade de abordar questões de género e colonialidade a partir da posição do sujeito feminino, branco e europeu, reconhecendo assim a “dupla articulação” do colonial de que fala Homi Bhabha, com legados e efeitos díspares para colonizadores e colonizados. Inspirado pela teoria feminista, pós-colonial e descolonial, o colectivo investiga o imaginário histórico resultante desta dupla articulação, uma condição que é tanto partilhada como diferenciada, indagando de que forma estes imaginários se encontram por via quer da tensão quer da convivialidade. O Pipi Colonial procura criar espaços de confluência solidária de agendas, aspirações e receios que reconhecem a diferencialidade da experiência material de cada uma, diferencialidade esta que é encarada como desejável e produtiva. O Pipi Colonial entende a colonialidade como a persistência e mutação da racionalidade colonial no período histórico pós-colonial. Questiona, desta forma, a temporalidade linear implícita na periodização histórica, procurando dar visibilidade à “presença colonial”, isto é, à persistência de formas anacrónicas de racionalidade colonial no presente, nomeadamente através de novas configurações de colonialidade capitalista e belicista. O Pipi Colonial reflecte assim sobre as linhas de continuidade entre formações coloniais, sobre o legado do passado colonial na contemporaneidade, e sobre a forma como estas condicionam e se articulam através de categorias de género. Por fim, a actuação do Pipi Colonial explora a potencialidade epistémica do curatorial, entendido como prática de produção de conhecimento para além do expositivo e programático. Através deste modelo curatorial, o colectivo procura novas ferramentas epistémicas que resultam do encontro entre teoria, criticalidade, prática artística, programação e circuitos informais de circulação de saber. O Pipi Colonial acredita que o festivo, o recreativo e o nocturno são formas válidas de formulação colectiva de conhecimento.

Actualizado

el 21 feb de 2019

Contactar

¿Quieres contactar con el gestor de la ficha?

Exposiciones comisariadas

Rita GT. Return to Earth
21 sep de 2017 - 04 nov de 2017

Return to Earth

Galeria Belo-Galsterer / Lisboa, Portugal


Descubre más obras en ARTEINFORMADO

{{ artwork.title | limitTo:16 }}, {{ artwork.year }}
{{ artwork.artistName | limitTo:28 }}
Compártelo en redes

Noticias relacionadas

volver arriba